quinta-feira, 6 de outubro de 2011

UM RAIO DE LUZ ( By Marco Sobreira)




Já comentei aqui nesse espaço que diariamente faço um trajeto de 80 km entre as duas cidades que trabalho, aproveito essa viajem para refletir sobre os compromissos da minha profissão e para pensar no Brasil, principalmente sobre as últimas noticias, é um momento solitário que aproveito para colocar as idéias em ordem. Nessa semana estive pensando, em que mundo vivemos e quais os valores norteiam a nossa sociedade? Com certeza, o amor e o respeito à vida não são, basta olhar as noticias e constatar que crimes hediondos, assassinatos a sangue frio, sem o menor direito de defesa à vitima, se tornam cada vez mais assustadoramente constantes em nosso país desses dias nebulosos.

Como médico dediquei e ainda dedico meu tempo para tentar salvar vidas, mas de vez em quando me pergunto se alguns tipos de crime não mereceriam que nossos legisladores pensassem em prisão perpétua ou mesmo pena de morte. Ainda essa semana fomos surpreendidos com o assassinato de uma aluna pelo companheiro e professor de Direito simplesmente porque não aceitava o fim do relacionamento, vejamos, comprou uma arma, munição, espreitou, entrou no carro da vitima e após rodar por horas, assassinou-a com três tiros à queima roupa dentro do próprio carro. Após tirar a vida daquela que dizia amar, simplesmente foi a uma delegacia levando o corpo e se entregou dizendo que tinha feito uma besteira, ora amigos, tirar a vida de alguém para esse tipo de gente é como mesmo diz, uma besteira.

Como fica a família, que pelo que pudemos apurar é de gente simples, pai lavrador que teve todo o esforço de uma vida para formar a filha, que tinha o maior orgulho em dizer que seria a primeira doutora da família? Alguma coisa pode pagar tamanho sofrimento? E o que é pior, por ser advogado, o criminoso terá direito a cela especial, e após as conhecidas firulas jurídicas, em poucos anos estará de volta ao seio da sociedade enquanto a família da vitima estará com certeza despedaçada para sempre. É justo? É esse o país que queremos?

Recentemente uma juíza foi executada com 21 tiros por policiais que agora se sabe com o conhecimento e talvez ordenamento do próprio Comandante da corporação e de tanta convicção de saírem livres da empreitada, sequer tiveram o trabalho de usar outras armas e munições, usando mesmo as de trabalho. Por que morreu a juíza? Simplesmente porque combatia implacavelmente os desvios de conduta, os assassinatos cometidos por aqueles que deveriam zelar pelo direito e segurança da população.

Na verdade, a impunidade é a grande responsável pela disseminação de todos os tipos de delitos, desde a corrupção oficial que indiretamente mata milhares de cidadãos, passando pelos crimes de mando até esses assassinatos a sangue frio sem o menor direito de defesa, recentemente pesquisa mostrou que em 2010 43 000 brasileiros foram assassinados por arma de fogo, o primeiro lugar em todo o mundo, mata-se mais aqui do que na Colômbia, Venezuela ou Iraque, culpa de quem? Da impunidade e da frouxidão de nossas leis.

Como confiar numa policia que tem em seus quadros enorme quantidade de bandidos, milícias e assassinos, como confiar se tem Comandantes que manda calar a quem lhes ousa enfrentar? A quem vamos recorrer? Às armas, para defesa pessoal e de nossa família? Seria o fim do Estado de Direito, o inicio de uma guerra civil que levaria inevitavelmente a uma intervenção militar implorada pelo sociedade civil a fim de que se ponha ordem na casa, resultado? Fim da democracia, já vimos esse filme.

Alguns dirão que estou sendo radical, pessimista, exageradamente fatalista, mas quando temos um ex-presidente, idolatrado por milhares de brasileiros, que acoberta as falcatruas de companheiros em nome de um projeto de poder, passa-se a contaminar a sociedade com a idéia de que a lei não é igual para todos, que existe sim alguns privilegiados usando o governo em proveito próprio. Quando um juiz se refere a colegas como “criminosos de toga” é porque algo de muito errado acontece nessa república.

Triste os nossos dias, triste ver o povo anestesiado, sem vontade de reagir a tudo isso, triste ver nossas entidades de classe indo pelo mesmo caminho, triste ver a oposição a tudo assistir inerte, incompetente, anoréxica, astênica e muitas vezes corrompida pelo poder. Uma tênue luz, um pequeno raio se projeta nessa escuridão, pequeno mas num viés crescente que aos poucos vai espalhando pelo país o sentimento de que não dá mais para se tolerar tanta corrupção. Terá forças para banir essa corja encastelada em todos os Poderes da República? Só o tempo dirá.


2 comentários:

  1. Infelizmente, Dr. Marco, neste país está cada vez mais difícil enxergar uma luz no fim do túnel.
    Pelo que temos visto, só mesmo quando a população estiver em frangalhos, financeiramente, é que talvez reaja contra toda esta roubalheira dos cofres públicos.
    A Lei nunca foi tão desrespeitada e o PT mesmo com três mandatos seguidos não foi capaz de alterar essas brechas que favorecem os bandidos. Ao contrário, o que tem feito é defender o criminoso, desculpar os indesculpáveis e saudar o banditismo, inclusive premiando muitos deles.
    Haja estômago para suportar tanta falta de vergonha na cara.

    ResponderExcluir
  2. Mercia Maria Almeida Neves7 de outubro de 2011 05:52

    Amigo,
    Acompanho teu blog.Através dele,nos dá o privilégio de lhe conhecer.É alma nobre que mora em vc.O felicito por isso.
    Quanto as outras questões...é um fiasco, penso mesmo em resistência por parte de alguns que como nós,comunga mesmas idéias,e talvez assim mudar o quadro atual.Não quero crer, não quero compactuar com a cultura da corrupção, dos imorais,da normalidade nisso.Esses atos devem ser sentidos como assombros.Com repúdio.Com alguma perplexidade.Se pudermos.

    ResponderExcluir