sábado, 1 de dezembro de 2012

A CRIATURA E O CRIADOR



Frankenstein é uma obra de Mary Shelley, escrita quando ela tinha apenas 19 anos, entre 1816 e 1817. Nela, a criatura, montada com partes de cadáveres por um cientista, ganha vida e se vira contra o criador.

Como se diz que a vida imita a arte, a política não é exceção.
Ademar de Barros fez seu sucessor, Lucas Nogueira Garcez, mas este o traiu de todas as formas.
Jânio Quadros fez seu sucessor, Carvalho Pinto, que copiou Nogueira Garcez , com o agravante de não cumprir acordo quando da renúncia de Jânio, de liderar o movimento de retorno do mesmo , não aceitando a renúncia em conluio com Auro de Moura Andrade, que leu a carta-renúncia em sessão do Senado , sacramentando-a . O episódio rendeu uma bofetada pública do Presidente no Governador , quando de sua chegada a São Paulo , ainda no pé da escada do avião onde o traidor lhe aguardava cinicamente.

Quércia fez Fleury à custa da quase quebra do Banespa, hoje Santander. Não foi diferente a traição, com o agravante de partir do gabinete da criatura informações sobre o enriquecimento ilícito do criador.

No âmbito municipal, Maluf fez de Pitta o seu sucessor (afff), todos sabem no que deu.
Ainda no municipal, o “prefeitão” de Santos, Silvio Fernandes Lopes, fez de uma figura tão insignificante seu sucessor, que nem o nome citarei. Não deu outra , o traiu .
Onde quero chegar? Explico!

Lula fez Dilma. Agora é divertido.

Estamos presenciando a atuação mais Maquiavélica da história política. O autor de “O Príncipe” deve estar aplaudindo a discípula, pois nunca ninguém, nem mesmo Napoleão Bonaparte, o interpretou e colocou em prática seus ensinamentos tão brilhantemente.

Poucos perceberam a estratégia dela, a PRESIDENTA. As pessoas se atêm a gozá-la por ter preferência ao título inexistente.

Porém, vejamos:
A PRESIDENTA foi alçada ao cargo para reservá-lo à volta de Lula, o que é de conhecimento geral. No entanto, vem nos bastidores com competência, porque nem os que se dizem comentaristas políticos ou mesmo políticos, raposas reconhecidas, parecem ter percebido, porque comentários ainda não li ou ouvi de ninguém.

Gradativamente, ela vem se livrando dos nomeados por Lula e dos próceres do partido que a elegeu.
No caso de Zé Dirceu, que controla ainda uma ala do PT, e praticamente foi o Golbery de Lula, melhor atuação não podia ter tido.

A “INDEPENDÊNCIA” do Judiciário tão elogiada pela mídia, reconhecida pela população e aplaudida por todos, foi obra de uma peça de acusação tão primorosa do reservado e discreto Roberto Gurgel, Procurador-Geral da República (muito próximo dela), que não deixou alternativa ao Ministro relator Joaquim Barbosa, a não ser a severidade.

Ele, Barbosa, ao chamar para si os holofotes, colaborou para manter na sombra a figura do Procurador. Daí que dos onze ministros, oito nomeados pelo próprio PT, condenaram seus participantes, com ênfase maior aos políticos. Presos alguns, em penitenciárias agrícolas, outros, afastados e desmoralizados, todos, espera-se, não voltem à vida pública quer seja pela idade quer seja pelo julgamento popular.

A Polícia Federal trabalhando solta (?) está chegando ao Criador da chefe, ou CHEFA, (só para agradar) da Nação.

Vide o caso Rosemary, que pode inclusive, segundo sabemos, ter desdobramentos danosos na intimidade do casamento do criador. Mulher magoada ninguém, ninguém mesmo, controla a língua, nem ela própria.

Se pego, processado e julgado, o criador inviabiliza seu retorno. O próximo passo seria controlar o PT ou, ainda em ultima hipótese, migrar para o partido do Kassab. E tudo não dando certo, a criatura disputaria a reeleição contra o próprio criador desmoralizado.

Posso ter despertado hoje possuído por uma imaginação além dos limites da realidade, mas como sempre enxerguei bem na neblina mais espessa, descendo de lado a hoje antiga Serra da Anchieta, o tempo brevemente dirá se ainda tenho habilidade e braço ou minha análise é uma viagem sem destino ou ainda, quiçá, com roteiro programado

Marco Antonio Sanná

6 comentários:

  1. PF não trabalha solta. Faz uma ou outra coisinha até o limite do seu chefe, Ministro da Justiça, cortar as asas. Todos os grandes casos já julgados pela Justiça que envolvem altas esferas, como Maluf, Juiz Nicolau, Celso Daniel e mensalão só chegaram onde chegaram por causa da investigação do Ministério Público. Nesses, as polícias não encontraram "indícios" ou não conseguiram "juntar provas". O MP, sim. Independência de polícia fica lindo nas reportagens e posts em redes sociais. Na prática é ilusão.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Concordamos com Regina Brasilia. Toda polícia é dependente dos poderes executivos,cargos de direção são escolha de governadores e presidente.Tudo sob controle.
    E ainda querem uma PEC-37 !

    ResponderExcluir
  4. Marco Antonio Sanná( ou homônimo, se for o caso) é uma das mentes mais privilegiadas que conhecemos desde os anos 80.
    Paulistano, ou paulista,bestante conhecedor das histórias,fatos,arquivos de seu estado e do país.
    Sua análise é correta e profética.
    Que viver, verá!

    ResponderExcluir
  5. Pedimos permissão para reporduzir o artigo do Dr. Marco Antonio Sanná em www.gazetadobrasil.blogspot.com.br e www.sindjabrasil.org.br

    ResponderExcluir