sábado, 12 de fevereiro de 2011

PLANALTO AMEAÇA ALIADO QUE NÃO VOTAR MINIMO DE R$ 545,00

O governo vai exigir fidelidade na votação do salário mínimo, marcada para a próxima quarta na Câmara, ameaçando punir deputados que votarem em valores superiores aos R$ 545 e considerando-os "dissidentes". A inflação oficial de 5,9% em 2010, a maior em seis anos, foi decisiva na decisão da presidente Dilma Rousseff de não aceitar negociar um valor maior, ainda que R$ 550, como chegou a ser cogitado pelo governo.


Depois de reunião com o ministro Guido Mantega (Fazenda) e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, Dilma fez chegar aos aliados no Congresso recado de que não aceita perder o controle da inflação no seu primeiro ano de mandato. "Quem votar contra os R$ 545 será considerado dissidente, pois essa fórmula já garante um ganho real para os trabalhadores", disse ontem o líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP). "O governo não abrirá mão desse valor. Com um anúncio de cortes da ordem de R$ 50 bilhões seria irresponsabilidade dar um aumento maior."

Fonte: Folha de São Paulo

Um comentário:

  1. Mercia Maria Almeida Neves12 de fevereiro de 2011 19:51

    Esse governo subestima a todos..com o ex que teve...corta o de vcs, seus hipócritas como segurar a inflação para a classe trabalhadora não perder, se já está perdendo?é troca de meoda? diminui o minimo e come feijão?
    Sugiro cortar o da Presiendenta também, que os parlementares,junto a mesma teve aumentos substanciais,a inflação certeza, cai...são anos com um salariozinho.Contribuiria com a queda da inflação e muito! passado imperfeito...

    ResponderExcluir